És de Científico-Humanístico? Descobre o que está diferente no Cálculo da Média!

3 Agosto 2020

A semana começou com o nosso LIVE com o Secretário de Estado Adjunto e da Educação, segue-se uma onda de revolta e dúvida quanto às medidas - com petições e sondagens pelo meio - e termina alinhada, parcialmente, com o que sinalizamos.

 

Se ainda não leste as nossas ideias quanto às medidas aprovadas pelo Decreto-lei nº 14-G/2020, aproveita e dá uma vista de olhos para perceberes melhor o que está a ser falado neste artigo.

 

Através da sinalização da Inspiring Future às entidades competentes, o Ministério da Ciência Tecnologia e Ensino Superior vem alterar a fórmula de cálculo da média do secundário (apenas para efeito de candidatura ao ensino superior).

 

O que foi aprovado e o que muda para ti?

 

Se és do Ensino Recorrente, nada mudou face ao artigo que já tínhamos publicado antes! Portanto, salta para "Sou do Recorrente, como é que cálculo a minha média se os exames não contam?".

 

Um dos grandes problemas das medidas aplicadas era a diferenciação na fórmula de cálculo da média do secundário, dependendo do teu ano de conclusão.

Isto fazia com que os alunos que já concluíram o secundário no ano passado (ou mais) tivessem ponderação da nota do exame a todas as disciplinas, enquanto que para os que terminam este ano o 12º, isso já não aconteceria - as disciplinas de Português, Matemática A, Desenho A e História A não teriam a influência dos Exames Nacionais.

 

Por outro lado, muitos alunos viram a sua nota descer através dos 30% atribuídos aos exames nacionais na classificação final, e agora, impedidos de realizar melhorias, não conseguiriam voltar a subir a nota dessas disciplinas.

 

 Ao aperceberem-se deste cenário, o MCTES decide assim atenuar as injustiças destas medidas ao estabelecer uma nova fórmula de cálculo da média do secundário.

Uma fórmula única, para cada tipo de ensino, salvaguardando assim a igualdade do processo. Ou seja:

 

A tua média do secundário será calculada, para todas as disciplinas, sem a ponderação dos 30% da nota do exame, com uma exceção.

A exceção é que caso o exame tenha subido a tua nota interna da disciplina, continuarás a contabilizar os 30%. Ou seja, ninguém irá ver a sua nota descer, apenas subir.

Para que seja mesmo claro:

 

Se és do Ensino Científico-humanístico 

  • A nota de todas as disciplinas será calculada através da média das notas de cada ano. Portanto, a Média da Disciplina pode ser uma destas fórmulas:

    • Trienais (N10º+N11º+N12º)/3;

    • Bienais (N10º+N11º)/2;

    • Anuais N12º. 

 

  • Caso a nota de um exame realizado em ano anterior seja superior à nota do ponto anterior, por exemplo - Média da Disciplina < Nota do exame - então o cálculo dessa disciplina continua a ser, no mesmo exemplo - (Média da Disciplina x 70%)+(Nota do exame x 30%)*

 

*Aguardamos informação oficial, mas ao que tudo indica, este ponto apenas é válido para exames que ainda estejam dentro do seu prazo de validade (2 anos).

 

  • A tua média do secundário será o somatório das notas de todas as disciplinas a dividir pelo número total de disciplinas (8).

 

Se és do Ensino Profissional ou Artístico

A tua média do secundário será igual à tua nota de conclusão do curso Profissional ou Artístico, contabilizando a Prova de Aptidão Profissional.

 

 

E a minha nota de candidatura?

 

Isso não muda!

Depois de calculada a tua média final do secundário, terás de dar a ponderação devida à(s) Prova(s) de Ingresso exigidas pela instituição de ensino superior a que te candidatas.

Desta forma, ficam na mesma salvaguardados os nivelamentos necessários às inflações das notas internas.


 

Por fim, e a questão das melhorias às notas internas?

Essa medida continua em vigor. 

Continua a não ser possível a realização de melhorias (com excepção das provas de equivalência à frequência) às notas internas.

 

As melhorias serão consideradas apenas para efeitos de Prova de Ingresso.

 

 

 

FONTE: Direção Geral do Ensino Superior