Tempo, o grande dilema do século XXI

Redatora com Futuro
25 Março 2019

Esta semana, quantas vezes já usaste a desculpa “não tenho tempo”, e deixaste algo por fazer? Tenho a certeza que muitas, eu própria tenho a plena noção que já o fiz e confesso-te: algumas dessas vezes simplesmente eu não queria fazer algo e o tempo foi a desculpa certa.

Queres começar a comer de maneira saudável, mas acabas sempre por “não ter tempo” para cozinhar e por comprar algo rápido que vai ser tudo menos saudável. Bem, já que não comeste de maneira saudável ao menos vais dar uma corridinha, mas o tempo passa, já sais da escola tarde e cansado e dizes sempre, “amanhã vou mesmo, hoje não tenho tempo”, mas todos sabemos que amanhã também não vais.

Queres fazer o melhor trabalho, tirar as melhores notas possíveis, fazer algo novo, porém as aulas e os trabalhos ocupam grande parte do teu dia e quando acaba e chegas a casa queres descansar um pouco e acabas por dizer: “amanhã é que começo o estudo a sério”.

Mas afinal onde é que vais buscar tempo para fazer isto tudo?

E se eu te dissesse que o tempo, raramente, é o problema? Sim, é limitado, mas acredita a tua atenção, energia e entusiasmo são bem mais limitadas do que o teu tempo. 

Neste artigo vou dar-te algumas dicas para reduzires o número de vezes que dizes: “não tenho tempo

1.    Cria hábitos! A indisciplina é um inimigo muito maior quando comparado com a falta de tempo. Irias ficar pasmado com o tempo que perdemos até começar a fazer alguma coisa e que quanto mais adiamos começá-la menos qualidade terá.

2.    Uma lista de tarefas não cumpridas não é o principal problema a ser eliminado. O nosso maior desafio enquanto seres humanos é que temos vidas finitas, mas infinitas possibilidades ao nosso redor. Dessas imensas possibilidades deves definir os teus objetivos.

3.    Aprende a dizer não às coisas que não atendem aos teus objetivos principais. Começa por dizer não aquelas coisas que nem entendes o porquê de ter dito que sim. Vais ver que a tua lista de afazeres irá ficar muito menor e só com aquilo que é mais importante para ti. Fica feliz por teres feito uma coisa que era importante para ti, em vez de dez que não importavam assim tanto.

4.    Percebe que os teus medos te levam tempo preciso, tempo que poderias estar a usar para fazer algo que te deixasse mesmo feliz. Os nossos medos de começar, de cometer erros, de desiludir os outros, tudo isto leva a que digamos tantas vezes “não tenho tempo”, pois é a desculpa mais fácil para nos enganarmos a nós mesmos.

Há algo que te assusta? É mesmo isso que deves por em primeiro lugar na tua lista de tarefas. Se é importante para ti, faz! Acredita, tu tens tempo! Não para tudo, nem mesmo para a maior parte das coisas, mas sim para aquelas que realmente importam!


DEIXA UM COMENTÁRIO