O que costuma sair no Exame de Desenho A?

Editor Inspiring Future
6 Junho 2018

No período compreendido entre 2010 e 2016, a prova de Desenho A manteve-se estável relativamente ao objeto de avaliação, tendo sofrido alterações pontuais na sua estrutura.  

  • As provas de 2010 e de 2011 foram constituídas por quatro itens de construção: três itens no Grupo I e um item no Grupo II;
  • A partir de 2012, as provas passaram a ser constituídas por três itens de construção:dois itens no Grupo I e um item no Grupo II.

Os critérios de classificação, não obstante terem mantido inalterada a referência às competências avaliadas, foram objeto de reformulação em 2014:

  • o domínio dos diversos meios atuantes, riscadores e aquosos;
  • a capacidade de análise e representação de objetos e o domínio, no campo dos estudos analíticos de desenho à vista, da proporção, da escala, da distância, dos eixos e dos ângulos relativos, da volumetria, da configuração, dos pontos de inflexão, do contorno e da cor;
  • o domínio e a aplicação de princípios e estratégias de composição e de estruturação na linguagem plástica, compreendendo práticas de ocupação da página, enquadramento, processos de transferência e efeitos de cor;
  • a capacidade de síntese: transformação gráfica e invenção;
  • a coerência formal e conceptual das formulações gráficas produzidas

1. Domínio dos meios atuantes

A classificação média em relação à cotação varia entre 58% e 71%. Registam-se cinco casos de classificação média em relação à cotação inferior ou igual a 60%.

Podes ver dois tipos de exercícios:

2. Capacidade de análise e representação de objetos

O parâmetro Capacidade de análise e representação de objetos envolve aspetos como a montagem, a morfologia, a proporção, a tridimensionalidade e o contraste claro/escuro.

Os resultados das respostas deste tema permitem concluir que a capacidade de análise e representação de objetos é fácil, mas não muito fácil, ou de dificuldade média para os examinandos.

 Na prova de 2015, avaliava-se a morfologia geral, as proporções e a tridimensionalidade de cada modelo desenhado, tendo em conta a dobragem dos vincos, mas não a sua disposição na mesa de trabalho.

3. Capacidade de síntese

Relativamente a este parâmetro, verifica-se que os examinandos revelaram algumas dificuldades, variando a classificação média em relação à cotação entre 49% (item II da prova de 2011) e 68% (item II da prova de 2014).

4. Domínio e aplicação de princípios e estratégias de composição e de estruturação na linguagem plástica

Os resultados nos dois grupos deste tema permite concluir:

  • A facilidade no domínio e aplicação dos princípios e estratégias de composição na linguagem plástica é maior nos itens do Grupo I. Se não se considerarem os itens I-3. da prova de 2011 e I-2. da prova de 2016, a classificação média em relação à cotação deste parâmetro varia entre 77% e 92%
  • No Grupo II, o desempenho dos examinandos relativamente ao parâmetro em análise tem vindo a melhorar: até 2012, os resultados mostram que a dificuldade do parâmetro é média; a partir de 2013, o parâmetro é fácil

Eis um rexemplo de um exercício deste tema:

5. Coerência Formal e Conceptual  

Não temos exemplo de exercício deste tema, mas podes consultar os exames do ano passado na linha de baixo. Contudo, é importante dizer que se concluiu que o parâmetro Coerência formal e conceptual não apresenta dificuldade para os examinandos, variando a classificação média em relação à cotação entre os 68% e os 79%.

Eis os exames do ano passado: aqui a primeira fase e aqui a segunda. Fica também com os critérios de avaliação.

Boa sorte!! Não te esqueças de que não é para fazer rabiscos ;)


DEIXA UM COMENTÁRIO