Natal: O que oferecia um finalista de Jornalismo a um caloiro do mesmo curso?

Editor Inspiring Future
12 Dezembro 2019

Ao finalista Afonso Alexandre lançámos o repto de nos falar sobre as especificidades da sua licenciatura. Com grande poder de descrição, o Afonso sublinha os aspetos mais importantes do curso:

"Olá, futuro caloiro. Estamos a caminhar para o Natal e como tal, eu, enquanto finalista, tenho algumas prendas para te dar (para além dos resumos que já deves ter ido buscar ao Grupo de Facebook da tua faculdade e que eu e os meus amigos fizemos)

Portanto, antes de mais nada, não tens de quê. Se achas que sabes escrever, usar vírgulas, a palavra “que” ou que lideres se lê com o acento no “i”, amigo… Vais chumbar a duas cadeiras de Português. Na cadeira de português residem os maiores grammar nazis que vais encontrar.

De entre cadeiras com testes com consulta (cuja professora para a aula quando alguém deixa cair a caneta no chão ou se assoa), cadeiras gerais tão interessantes que vais começar a faltar na terceira aula e cadeiras que não sabes bem porque tens de aprender (Quem é que sabe usar o SPSS?) a tua vida vai ser tranquila até ao final do semestre. Mas atenção! Temos 4 cursos na Escola Superior de Comunicação Social e vais ouvir de todos eles que “Jornalismo não trabalha”.

Prepara a máquina do café e os comprimidos para os nervos. E não te esqueças de que tens as melhores aulas nos estúdios de rádio e televisão. Deves ler jornais todos os dias (ou faz como maior parte das pessoas e ouve notícias no carro enquanto estás parado na Segunda Circular, lê o “Metro” quando saíres do metro da linha Azul ou vê notícias de relance quando chegas a casa às tantas porque ficaste a trabalhar para um núcleo (trabalho esse que te vai ocupar, muitas vezes, 90% do tempo de trabalho que tens).

Aproveita tudo o que a ESCS tem para oferecer e conseguirás ser como metade dos estudantes de jornalismo, que vê o seu futuro na área do Audiovisual e Multimédia. E se gostares mesmo disto, e te esforçares por não ultrapassar o numero de faltas permitido, a jornalista Ana Leal tem uma fonte que diz que vais conseguir licenciar-te.

E assim te verei, daqui a uns anos, num estágio não remunerado a lamber papel e servir cafés. E sem fins de semana.

Aproveita os 3 (4,5 ou 6) anos que demoraste a tirar o curso. São mesmo os melhores da tua vida."

Afonso Alexandre, finalista da licenciatura em Jornalismo.