Mas, afinal, o que são melhorias?

24 março 2021

Num ano normal, todos os alunos do ensino secundário são obrigados a realizar 4 exames de disciplinas do seu currículo para o cálculo da sua média do secundário - Português, Trienal, Bienal I e Bienal II - contando, cada exame, 30% da classificação final da disciplina - p.e. em Português: [(nota 10º + nota 11º + nota 12º)/3 x 70%] + (nota do exame x 30%). A isto chama-se ir ao exame enquanto INTERNO.


Quem pode ir a exame como externo (também chamados de autopropostos):

- Alunos que chumbam ou anulam a disciplina - através de um exame de equivalência à frequência, algo que não foi alterado com a pandemia;

- Alunos que fazem exames que não fazem parte do seu currículo do secundário - estes exames contam apenas para Prova de Ingresso ao Ensino Superior, coisa que também não foi alterada com a pandemia;

- Alunos que, tendo já passado à disciplina do currículo num ano anterior, querem melhorar as suas notas internas do Secundário. É neste caso que entram as melhorias de nota interna, vê a informação específica mais abaixo;

Para além disso, todos os exames realizados - seja Interno ou Externo - podem então ser utilizados também como Prova de Ingresso nos dois anos consecutivos à sua realização - atualmente todos os exames a partir de 2019. Isto ainda é válido em 2021!

Média do Secundário 2021


Em cima foi referido a forma de cálculo em anos normais. Só que este ano (tal como em 2020) o Governo decidiu mudar este cenário por causa da pandemia.

Então, agora todos exames são feitos na modalidade de Externo/Autoproposto e apenas para efeitos de Prova de Ingresso ao Ensino Superior.

Isto quer dizer que com esta medida do Governo, apenas contas com a tua nota interna das disciplinas para a média de secundário e que depois de estar a disciplina concluída, nunca mais consegues subir essa nota.

 

Como Funcionam as Melhorias


Quando concluires qualquer disciplina, essa nota fica no teu diploma do secundário para o resto da vida - imagina candidatares-te novamente ao Ensino Superior aos 60 anos e a desgraça de Português ou Matemática do secundário ainda te atormentar. 

Quando concluis o secundário, ficas com 1 nota nas disciplinas que não têm exame, e se for uma disciplina de exame, ficas com 2 notas:

- Nota da Classificação Final da Disciplina (pode contar com exame ou não);

- Nota para Prova de Ingresso de Acesso ao Ensino Superior.


Vamos dar um exemplo concreto:

A Maria, no 11º ano, vai concluir a disciplina de Físico-Química, tendo como média dos dois anos um 14. Vai fazer o exame no final do 11º ano, e tem 10.


Num ano pré-COVID: 

A Maria fica com Nota Interna de 13 (baixou por causa do exame). 

E tem a Prova de Ingresso de 10.


Num ano COVID:

A Maria fica com Nota Interna de 14

E tem a Prova de Ingresso de 10.

 

Até aqui parece tudo positivo... certo?

Mas a Maria precisa de aumentar a sua nota para 16 para entrar no seu curso de SONHO.


Num ano pré-COVID:

A Maria no ano seguinte, já no 12º, esforçou-se imenso para Físico-Química e volta a fazer exame. Desta vez, há vários cenários possíveis, alguns exemplos:

- Se tirar 9 as notas ficam 13 na disciplina e 10 na prova de ingresso, na mesma. Como é uma melhoria, a Maria nunca poderia descer ou ser prejudicada.

- Se tirar 12 fica com nota interna de 13 na mesma, mas tem Prova de Ingresso de 12. No fundo, melhorou o que podia e o resto ficou igual.

- Se tirar 16, melhora em ambas! Ou seja, fica com 16 tanto na nota interna da disciplina como na Prova de Ingresso.


Num ano pós-COVID:

A Maria faz o exame no 12º ano, mas nunca pode alterar o seu 14 de nota interna, mesmo que tire 16, fica apenas com 16 como Prova de Ingresso.

 

Não concordas com isto? lê esta notícia!


Alguns números das Melhorias


Podemos considerar que as melhorias são “benefício” que se dá aos alunos, mas é um benefício ao esforço destes. Algo que sempre existiu até aparecer a pandemia.


Segundo os últimos dados oficiais do Júri Nacional de Exames, são realizados 38.000 exames para efeitos de melhoria de nota, isso já exclui todos os outros externos (como os de equivalência à frequência). 

No entanto, não tem dados para distinguir quem foi fazer melhoria à nota interna, quem foi fazer melhoria à Prova de Ingresso, ou a ambas.

Segundo um inquérito que fizemos no ano passado, 2020, 87% desses exames vão ser realizados na mesma, porque os alunos precisam de melhorar a sua prova de ingresso. Apenas 13% das pessoas deixam de fazer esse exame, porque SÓ queria melhorar a nota interna.

No entanto, deste total de 38.000 exames, 76% dos inquiridos gostaria de melhorar AMBAS - portanto apenas 11% ia fazer um exame que não está presente no seu currículo, contando assim apenas para melhoria de Prova de Ingresso.

Ainda ficaste com dúvidas? Carrega aqui e envia-nos um e-mail para duvidas@inspiringfuture.pt