Já estás todo frito? Burnout: Conhece os sinais e sabe como reagir

Redatora com Futuro
3 Dezembro 2018

Com a aproximação do final do ano letivo, avista-se igualmente toda uma avalanche de deadlines de trabalhos e testes. Por consequência, surge também uma enorme quantidade de cansaço mental que te empata ainda mais. É a altura em que todo o estudante é posto à prova, não só a nível académico, como também psicologicamente.

Neste artigo, ajudamos-te a desvendar se poderás estar a sofrer um burnout e como lidar com este.

Burnout corresponde a um esgotamento do foro psíquico, em que durante um longo período de tempo, é experienciado elevados níveis de exaustão e de stress crónico, inevitavelmente prejudicando a nossa performance profissional. É um fenómeno bastante característico do mundo de trabalho português, mas torna-se igualmente comum entre os estudantes do secundário e do ensino superior.

Quais são os sinais?

Um dos primeiros sintomas é sentires-te constantemente cansado, seja fisicamente como emocionalmente. Vais-te apercebendo que, a cada dia que passa, o simples ato de te levantares se vai tornado mais difícil de realizar. Tens uma motivação cada vez menor para fazer o que quer que seja, já que deixas de atribuir tanta importância às coisas como era habitual. Aloja-se em ti uma espécie de “nuvem” de negatividade, fazendo com que encares tudo de forma mais pessimista.

Notas que andas mais esquecido ou com “a cabeça no ar”? O stress crónico conduz também ao desenvolvimento de problemas cognitivos, dificultando a tua memória, bem como a tua concentração, tomada de decisões e a capacidade de resolver determinados problemas.

A intensidade da pressão, muitas vezes extrema, leva-te a estares permanentemente preocupado com aquilo que não estás e deverias estar a fazer. Estes pensamentos chegam a ganhar dimensões paranoicas, fazendo-te perder horas de sono. Por consequência, passas o dia ainda mais cansado e cais num círculo vicioso de comportamentos reprováveis. Refugias-te em comfort foods, deixas de praticar exercício físico ou vais te isolando em casa.

Tudo isto contribui para um proveito escolar com menos hipóteses de sucesso, alimentando os constantes sentimentos de insatisfação e frustração para contigo mesmo.

O que é que deves fazer?

É imperativo que aprendas a relaxar! Seja através de sessões de meditação (meditação é muita coisa!), ouvindo música ou convivendo mais tempo com os teus amigos, o que importa é que reserves algum tempo teu para descontrair.

Tenta fazer com que a tua vida não gire, incessantemente, à volta dos trabalhos. Dedica-te a algum hobby, desporto ou até a praticar voluntariado. É fundamental arranjar uma forma de desanuviar e de te entreter um pouco.

Para além disto, tenta dormir, no mínimo, sete horas por dia, alimentar-te bem e desconectar-te das redes sociais de vez em quando.

Se esta exaustão persistir, considera pedir ajuda à tua família ou mesmo a algum psicólogo, profissionalmente qualificado para pôr um fim a esta dor-de-cabeça, que insiste em não te deixar.


DEIXA UM COMENTÁRIO