Escrever mais para ser mais: 3 dicas fundamentais para te ajudar a escrever melhor

Redatora com Futuro
9 Maio 2019

Estás farto de não saber como te dirigir aos professores quando queres escrever um mail? Ou de usar sempre as mesmas palavras nas tuas respostas?

A verdade é que saber articular bem as palavras e desenvolver uma resposta coerente e bem estruturada a níveis sintáticos e semânticos é meio caminho andado para fazer um brilharete nos exames e nos testes.

Papa-livros

Se não tens o hábito nem o gosto da leitura (legendas de filmes e séries não contam), aconselho-te a ires treinando e cultivando essa prática. Ler não só nos estimula a imaginação e a criatividade, essenciais para uma escrita melhor, como traz mais vocabulário para o nosso quotidiano (spoiler alert: até vais descobrir palavras que nem sabias que existiam!).

Se achas que ler é uma seca é porque provavelmente ainda não encontraste o teu género de literatura preferido. Numa fase inicial, não precisas de ir a correr para os “livros prémio-nobel”, começa com algo simples e que te desperte a curiosidade para ler mais, podes até começar por revistas ou jornais, aqui o importante é mesmo despertares o “papa-livros” que há em ti.

Já ouviste falar em prontuários?

Sumulamente, um prontuário é um pequeno manual que dá muito jeito de ter à mão em caso de dúvidas na língua portuguesa, quer escrita, quer falada, que evita que dês aquelas calinadas graves que tanto se difundem pelas redes sociais.

“Destinado a todos os que procuram uma resposta rápida, simples e clara às questões relacionadas com a língua portuguesa, este auxiliar encontra-se organizado de uma forma prática e funcional para esclarecer dúvidas relativas a:

  • Dificuldades da língua (à ou há?; porque ou por que?);
  • Particularidades ortográficas;
  • Uso de maiúsculas, minúsculas, sinais de pontuação e hífen;
  • Regras de acentuação
  • Problemas de concordância
  • Vocabulário de dificuldades
  • Abreviaturas, siglas e símbolos
  • Principais alterações implementadas pelo Acordo Ortográfico”

Aqui fica uma sugestão para deixar na lista de presentes ao Pai Natal.

Mantém as coisas em formato “perfume chanel”

Muitas vezes limitamo-nos a “engolir” frases pré-formatadas e matéria na véspera para depois despejarmos tudo no teste e não nos lembrarmos de nada do que estudámos na semana seguinte.

O problema é que, para além de não compreenderes nada do que estás a estudar, acabas por não assimilar qualquer conteúdo, o que muitas vezes pode levar a que nem sequer percebas o que é que a pergunta do teste pede e te limites a repetir a mesma informação vezes e vezes sem conta. Lembra-te que as respostas não são avaliadas “ao metro”, mas sim pelo conteúdo e estrutura/forma coerente com que são apresentadas. Assim, podes dizer muito por pouco, o que até te pode ajudar com questões de gestão de tempo durante a prova.

Assim, ser conciso no que tentamos expor e transmitir pode acabar por ser benéfico e, para isso, aconselho te a organizar a resposta sempre com “cabeça, tronco e membros”, isto é, começa por fazer uma breve introdução (por exemplo, no caso de teres de comentar uma frase começa por dizer se concordas ou não e explicita a(s) justificações que vais desenvolver adiante);  de seguida uma parte de desenvolvimento em que desenvolves organizadamente cada tópico de resposta; e , por fim, uma conclusão em que deves apenas referir resumidamente o que desenvolveste anteriormente, uma espécie de chave de ouro.