Apresentações orais? Usa a tua melhor cara!

Luís Alves Vicente
Editor Inspiring Future
27 Abril 2018

Mas, mas... como assim a minha melhor cara? Não é sempre a mesma?
Bem; já estamos a começar mal. Primeiro, a tua cultura pop de séries televisivas é um bocado fraca para estares a fazer essa pergunta - todos sabemos da existência do deus das muitas caras, da Guerra dos Tronos. Segundo, espero que tenhas percebido esta referência, porque ainda tentei pensar noutra com La Casa de Papel (spoiler alert: eles ficam com o dinheiro mas morrem três bandidos) mas não encontrei nada de jeito. Adiante.

Nesta reta final do ano todos os momentos de avaliação contam e tudo o que faça subir a média para entrarmos no curso que queremos é de aproveitar. Portanto, e por muito que os trabalhos de grupo não sejam o teu forte, há que tirar partido das boas notas que os professores tendem a dar às boas apresentações.

Já aqui te falámos nos truques para combater o nervosismo que toma conta do corpo de muitos finalistas durante as apresentações. Mas há outras coisas que tomam conta do teu corpo, como, as borbulhas! Fazermos uma apresentação perante toda a turma com aquele pus quase a sair não dá confiança nenhuma.

Depois já viste o que seria este tipo de conversas:
- Então, o Orlando não entrou em Condução de Manadas? 
- Epa, faltava-lhe uma décima... aquela apresentação a português em que parecia um Ferrero Rocher correu-lhe muito mal. Foi a exame com nove e tudo...
- Coitado... bem, vamos ver La Casa de Papel?
- Esquece, li num sítio qualquer que eles ficam com o dinheiro mas morrem três gajos.

Moral da história: Não sejas Orlando! Vai para as tuas apresentações orais com segurança no conhecimento e confiançudo na imagem! Estuda a teoria e trata do físico!

Artigo powered by:


DEIXA UM COMENTÁRIO