E se não fosse preciso nota mínima nos exames para entrar no Ensino Superior?

 
Sim, leste bem. Está a ser ponderada a alteração de acesso ao Ensino Superior, depois de uma recomendação do Conselho Nacional de Educação, órgão independente, cujo trabalho passa por emitir pareceres e opiniões. O que está em cima da mesa é então a eliminação do requisito de os alunos do secundário terem de obter 9,5 nos exames para estes contarem para a média. Mas, como dissemos acima -e é importante sublinhar - esta é apenas uma proposta e não um decisão.
 
Atualmente, quem quer candidatar-se ao Ensino Superior tem de ter 9,5, que arredonda para 10, ou seja positiva, nos exames nacionais a que esse aluno está sujeito. O que o CNE vem propor é que isso deixe de existir e seja possível entrar apresentado exames com nota negativa. Em causa está a opinião de que o "a condição mínima de acesso ao Ensino Superior deve ser a conclusão do ensino secundário", como defendeu o presidente do CNE, David Justino, citado pelo semanário Expresso.
 
Como alternativa, o mesmo órgão apontou para a confiança "nas instituições do ensino secundário, quanto às classificações que atribuem, e nas instituições do ensino superior, pois a estas sempre caberá formar e avaliar os estudantes que ingressam". Isto é, retirar a elevada preponderância que as escolas secundárias têm nas notas de acesso ao Ensino Superior.
 
O presidente do Conselho Nacional de Educação "revelou ainda ser ´muito importante' separar a conclusão do secundário do acesso ao ensino superior, até porque 'qualquer pessoa com o ensino secundário deve ter a possibilidade de concorrer ao ensino superior'", pode ler-se no mesmo artigo.


Outras notícias
Tens alguma dúvida?
Faz uma pergunta à Inspiring.