Life Hacks

E se pudesses tirar uma licenciatura a custo zero?

Marta Moura
Redatora com Futuro
25 Janeiro 2018

Sim, leste bem! É possível licenciares-te numa Universidade onde não pagas propinas! Parece impossível, mas é verdade. Apenas não é em Portugal, logicamente. O programa que te vou apresentar é semelhante ao Erasmus, mas em vez de ires estudar um semestre para fora, são os três (ou cinco anos) de curso. Os países entre os quais podes escolher são diversos (Dinamarca, Canadá, Reino Unido, Austrália, Dubai), mas apenas te falarei da Dinamarca pois é o que, actualmente, apresenta um programa educacional mais apelativo, com mais prós que contras.

A Dinamarca é um país nórdico, membro da União Europeia, que possibilita a todos os cidadãos europeus o acesso às suas universidades de forma gratuita. As universidades apresentam um leque vastíssimo de cursos, leccionados em inglês. Um dos objectivos do governo dinamarquês é que os estudantes possam vir a trabalhar na Dinamarca, na sua área de estudo, visto que o seu ensino é mais prático do que teórico. São-te dadas todas as condições para que isso seja possível. E não te preocupes com a aprendizagem do dinamarquês! Terás aulas de dinamarquês igualmente gratuitas. E se sabes inglês, o dinamarquês é semelhante (acredita, não custa nada!).

Foi considerado em 2017 um dos países mais felizes do mundo, porque a sua filosofia se baseia na regra dos três “8”: 8 horas de trabalho8 horas de lazer e 8 horas de repouso. Portugal está na 89º posição deste ranking. Já estás convencido a mudar-te para o Reino da Dinamarca?

Os jovens são considerados o activo mais importante do país, que se preocupa em lhes dar a melhor qualidade possível na formação e na educação. O ensino dinamarquês assenta num sistema prático baseado na resolução de problemas: "Practice-Oriented Education" apresentando uma enorme articulação entre empresas, indústrias e universidades.

Porquê estudar na Dinamarca? Alguns pontos para te convencer ainda mais:

  • Salário: um estudante em part-time consegue chegar facilmente aos 800€/ mês.
  • Clima: é bastante mais frio que o nosso, mas as infraestruturas do país estão bem adaptadas para o conseguires suportar.
  • Saúde: o sistema de saúde, tal como a educação, é completamente gratuito.
  • Segurança: é considerado um dos países mais seguros do mundo.
  • População: pouco mais de 5 milhões de habitantes onde a língua oficial é o dinamarquês, mas a maior parte da população também domina o inglês.
  • Transporte: a população dinamarquesa desloca-se, maioritariamente, de bicicleta. 

Se estás a terminar o secundário ou já terminaste podes candidatar-te a um curso superior na Dinamarca. O ensino superior é dado em três formas diferentes. As Academies ou University Colleges oferecem cursos mais práticos, nomeadamente Academy Professional Programmes (AP), cursos com, pelo menos, dois anos de duração que te permitirão fazer um complemento, de modo a poderes ficar com uma licenciatura essencialmente prática, isto é, um Professional Bachelor degree (licenciatura com uma componente práctica mais elevada, oferecendo um conhecimento teórico sólido direcionado à aplicação na práctica). As Universidades oferecem cursos um pouco mais teóricos: os cursos de 3,5 anos serão feitos sem a interrupção que podes ter nos APs. Após concluíres o Bachelor Degree, com 180 ECTS , poderás fazer um Mestrado, sempre com 2 anos de duração. As férias escolares são semelhantes às nossas: uma/ duas semanas na Páscoa e Natal, um/ dois meses no Verão. Os exames finais são em Janeiro ou em Junho, quando terminam os semestres.

De que precisas para frequentar um AP? Apenas duas coisas: ter terminado o 12º ano e dominares bem o inglês (pode ser-te pedido um certificado de Inglês ou a realização de um exame, mas é, também, gratuito). A data limite das candidaturas é 15 de Março, uma vez que as aulas começam em Setembro. 

A Dinamarca é dos países da Europa com menor taxa de desemprego, por isso não será difícil encontrar um part-time. O que dificulta os estudantes na procura de emprego é o facto de, apesar de os dinamarqueses serem fluentes em inglês, ser muito valorizado o domínio da língua dinamarquesa. A maioria dos estudantes começa por trabalhar na área de restauração (aposto que há um Starbucks em todo o lado!), conseguido assim uma boa ajuda para pagar as suas despesas mensais. Mas, em contrapartida, não pagas propinas, o que já é uma valente ajuda. O salário de um estudante na Dinamarca não costuma ser inferior a 13€ por hora.

São diversas as companhias aéreas com voos diários para a capital, Copenhaga. Mas todas rodam os 200€, de pouco adianta fazeres escala para poupares uns euros. E são à volta de 6 horinhas de viagem, não custa assim muito! Na Dinamarca deslocas-te de comboio entre as diversas cidades. No dia-a-dia, é recomendada a bicicleta: fazes exercício e não gastas em transportes.

Chegando à Dinamarca precisas de alojamento. Tens as residências de estudantes, muitas delas dentro do Campus universitário, onde podes viver e sentir o verdadeiro espirito académico! As residências são a opção mais barata, pelo menos nos primeiros tempos. Se optares por alugar um quarto ou até mesmo uma casa, isso ficará mais dispendioso, mas fica ao teu critério.

Convencido? Ou pelo menos curioso? É uma oportunidade única que penso que deves ter em conta, principalmente se gostarias de fazer Erasmus ou de estudar no estrangeiro. As saudades de casa seriam muitas, terias de aprender a viver por tua conta, mas seria uma experiencia única e, quando voltasses, terias uma bagagem cultural muito maior.

Eu estou a ponderar tirar outro Mestrado na Dinamarca, quem alinha?


DEIXA UM COMENTÁRIO

Tens alguma dúvida?
Vamos ajudar-te a esclarecê-la!