Estudante de Design de Moda na University of Bedfordshire

Estudar está na Moda

Categoria: Amplifica-te

No ensino secundário estava em Artes Visuais, mas o curso não me não me surpreendia, qualquer coisa que não desafiava os meus limites. Ao mesmo tempo, sempre que via  programas de televisão cujo tema principal era Moda, havia sempre qualquer coisa que me fascinava. No fundo sempre soube que o mundo da moda era um mundo desafiante e que me fazia feliz. Então... porque não tentar?! Esta ideia ocorreu-me no meu 10º ano e nunca mais desapareceu. 

 

 

Um dia, mais precisamente em maio do ano passado, quando alguns representantes de várias faculdades foram à minha escola secundária, reparei que havia muito poucas faculdades que ensinavam Design de Moda. Ainda assim, o meu plano era simples: acabar o secundário com as melhores classificações que conseguisse, arranjar trabalho, juntar o máximo de dinheiro possível para pagar as propinas da faculdade, e entrar numa das únicas três faculdades públicas no nosso país que ensinam o meu curso. 

Depois de ter tomado contacto com a empresa Ok Estudante comecei a pensar em toda a informação que recebi sobre o curso de Design de Moda, só que em Inglaterra - formas de ensino, custo, residência, etc - e tudo parecia melhor. Foi então que decidi marcar uma reunião com um dos seus Student Advisers e tomar uma decisão. Deixar o meu país, a minha família, os meus amigos, não seria uma tarefa fácil, mas senti que tinha que desafiar os meus limites, precisava de sentir que estava a fazer progressos, que estava preparada para ser “adulta”. 

Foi então que decidi. Tinha de tentar uma vida melhor, uma vida na qual poderia fazer o que queria e na qual teria mais probabilidades de ser reconhecida pelo meu trabalho e pelo meu esforço. Sempre soube que ia ter de fazer sacrifícios, largar a vida que tinha em Portugal, deixar todas as pessoas que eu conhecia e de quem gostava, mas tudo por um futuro melhor, claro.

 

Foi então que fui para Inglaterra no fim de Setembro, e, por incrível que pareça, não sofri nada com o tão falado “choque cultural”. Adaptei-me bem, fiz novos amigos, continuei a falar todos os dias com a minha família, encontrei um trabalho que adoro em menos de uma semana, adaptei-me ao meu curso e aos meus tutores, consegui manter notas acima da média, tudo coisas que achei que seriam praticamente impossíveis. Embora confesse que tenho algumas saudades da minha vida em Portugal, sinto mesmo que mudei para melhor!

 

Sempre pensei que os jovens podem mudar o mundo. Sfinal de contas nós somos o futuro, e se nós não tentarmos mudar o mundo para melhor, ele não vai mudar. Sempre pensei que poderia levar o nome do meu país pelo mundo fora, e, ainda hoje, penso que se me esforçar nos meus estudos, e, futuramente na minha área, posso consegui-lo. A educação é um dos maiores poderes que podemos ter, nunca nos podemos esquecer disso.

Caso estejas indeciso sobre o teu futuro, pensa bem antes de tomares a tua decisão. Pensa naquilo que gostas, aquilo que podes fazer para teres o futuro que queres. A verdade é que o ensino superior é uma mais valia, é um “corta-mato” para conseguires o que queres. Não tens que obrigatoriamente sair do país e abdicares de tudo o que tens como eu fiz. Apercebi-me que muitas pessoas não estão a estudar no ensino superior porque não têm possibilidades financeiras, mas relembro que eu queria tornar-me “adulta” e para isso teria de abdicar da ajuda financeira dos meus pais (que o fiz, mas não por opção deles, foi mesmo uma opção minha). Em Inglaterra há aquilo a que se chama de “Student Finance”, uma opção fácil que te ajuda a pagar as propinas, basicamente depois de acabares a licenciatura e quando encontrares um trabalho, caso não excedas uma determinada quantia, dinheiro nunca chegas a pagar propinas. 

Aconselho-te a pores em jogo todas as hipóteses possíveis: qual o curso que queres, a faculdade que queres, se queres fazer um “Gap Year”, ou refazer o 12º para melhorar as classificações, ou, até mesmo se decidires aventurar-te no ensino superior britânico. A todos os candidatos, desejo boa sorte para esta nova etapa, claro.


Também te pode interessar
Tens alguma dúvida?
Faz uma pergunta à Inspiring.